terça-feira, 18 de abril de 2017

segunda-feira, 17 de abril de 2017

CERVEJAS LEFFE

No universo cervejeiro a gama de opções é muito vasta e nem sempre é possível experimentar todos os rótulos de determinada cervejaria. Existem várias cervejas brasileiras que são fantásticas, segundo os profissionais da área e amigos que já experimentaram, mas que eu ainda não tive a oportunidade de experimentar. Falta de oportunidade, dificuldade de encontrar nos mercados da região. Os fatores são diversos e isso se estende às cervejarias estrangeiras, como por exemplo a Leffe. O primeiro rótulo que bebi deles foi há pouco mais de um ano e recentemente encontrei alguns rótulos em um mercado da cidade.

Antes de do review, gostaria de compartilhar um pouco da história da cervejaria.

A Abadia de Notre Dame de Leffe foi fundada em 1152, mas só em 1240 é que surgiu a primeira cerveja. Localizada em Namur, no sul da Bélgica, a Leffe era produzida por monges premonstratenses, sábios da cerveja, sendo que até hoje segue uma receita rígida e tradicional.
Em sua história, a Abadia de Leffe passou por muitos obstáculos: enchentes, incêndios e até mesmo teve uma parte sua destruída devido às tropas da Revolução Francesa. Os monges abandonaram a abadia em 1794, parando completamente as atividades em 1902. Por sorte, a abadia se tornou patrimônio histórico, e em 1937 os monges voltaram para a Abadia e a produção voltou.
A cervejaria Leffe foi comprada pela InBev em 1987 e isso contribuiu para aumentar sua fama mundialmente. Fonte: Clube do Malte

Blond


Tipo: Belgian Blond Ale
Graduação Alcoólica: 6,60% vol
Volume: 330 ml
Cerveja de coloração amarelo dourado. Creme branco de boa formação e duração. Aroma maltado, com notas cítricas e herbais. Sabor frutado com amargor suave no final que conferem boa drinkability.

Royale


Tipo: Belgian Blond Ale
Graduação Alcoólica: 7,50% vol
Volume: 330ml
Cerveja de coloração acobreada. Creme branco de boa formação e duração. Aroma com notas frutadas, caramelo. Sabor maltado, fermento, pão. Amargor suave

Radieuse


Tipo: Belgian Dark Strong Ale
Graduação Alcoólica: 8,20% vol
Volume: 330ml
Coloração vermelho cobre, creme amarelo claro de boa formação e duração. Aroma maltado com notas de frutas vermelhas e caramelo. No sabor, o malte prevalece em conjunto com dulçor que lembra caramelo e há tbm presença de notas torrefadas. O amargor bem inserido no final do gole persiste na boca.

terça-feira, 4 de abril de 2017

PARATY-RJ / DIA 5 - BACK HOME

Acabei deixando o blog parado por quase um mês. O trabalho tem me tomado boa parte do tempo e tenho chegado meio sem inspiração para escrever. Só para fechar a série de posts sobre Paraty, vou deixar as últimas fotos que tiramos durante o retorno. Apesar do calor excessivo, foi ótimo passar alguns dias sem ter que me preocupar com nada e voltamos para casa pensando quando será a próxima estadia.

Esse mês pretendo voltar com as postagens. Grande abraço a todos!



quinta-feira, 9 de março de 2017

PARATY-RJ / DIA 4 - JABACUARA E CASA DA CULTURA

Afim de descançar e nos preparar para a volta no dia seguinte, passamos o dia todo na praia do Jabacuara que é a maior da região central de Paraty.


Com águas calmas e quentes, é o lugar ideal para relaxar. Além disso, tem vários quiosques ao longo da orla e um que recomendo (ops, a Paty recomenda) é o Biruta Grill que faz o Maraculouko, drink de cachaça e maracujá (eu prefiro cerveja) e tem ótimo atendimento.



À noite passamos no centro histórico e visitamos a Casa da Cultura que estava com uma série de exposições interessantes.

A Cadeira




Todos os Santos




E pra fechar experimentamos uma comida tailandesa. É bem diferente, como temperos fortes mas eu achei gostoso. A Paty nem tanto porque alguma coisa provocou uma irritação nela, que nem terminou de comer. Mas tava bonito, olha só.